Textos

Polígono da seca


Ao cavar a terra, a poeira
Não sobe, porque o suor
Umedece  e volta a leira
O mesmo originado pó...

O sol queimante, ardente
Transformou trabalho em dor
O homem à seca quente
escravo que a natureza formou.

Inverno ficou, sei lá onde
Chuva pra cá não veio
O sol a seca expande

Formando um deserto feio,
Com o trabalho o homem esconde
Tristeza, suor, dor e receio.
Luiz Viana
Enviado por Luiz Viana em 24/06/2018


Comentários